Quinta, 20 de abril de 2017, 10h13
Tamanho do texto A- A+


Política / Deu no Estadão

Blairo procura Michel Temer para entregar cargo e pesidente não aceita

Segundo a publicação, Temer recusou o pedido, dizendo que confiava na sua inocência e capacidade. O ministro aceitou permanecer.



O ministro da Agricultura, Blairo Maggi (PP), teria procurado o presidente da República, Michel Temer (PMDB), para colocar seu cargo a disposição. É o que consta em uma publicação do portal de notícias Estadão, nesta quinta-feira (20).


Segundo a publicação, Temer recusou o pedido, dizendo que confiava na sua inocência e capacidade. O ministro aceitou permanecer.


Blairo teve o nome envolvido em mais uma polêmica na semana passada. Ele é acusado de ter recebido repasses de R$ 12 milhões por meio do Grupo Odebrecht, para o financiamento da campanha eleitoral de 2006.

A acusação consta na delação de dois investigados na Operação Lava Jato, João Antônio Pacífico, diretor superintendente para as Áreas Norte, Nordeste e Centro Oeste da Odebrecht, e Pedro Augusto Carneiro Leão Neto, diretor de contratos da construtora.

De acordo com as investigações da operação da Polícia Federal, o Setor de Operações Estruturadas era responsável pelo pagamento de propina a políticos.

A Procuradoria Geral da República (PGR) pediu abertura de inquérito contra Maggi e mais nove ministros do governo Temer, que foi acatado pelo ministro do Supremo Tribunal Federal, Edson Fachin, relator da Lava Jato.

 

Confira a íntegra da publicação


Incomodado com sua inclusão na lista de investigados da Lava Jato, pela delação da Odebrecht, o ministro da Agricultura, Blairo Maggi, procurou Michel Temer para colocar seu cargo à disposição.


Blairo se considera injustiçado pela acusação e quis deixar o presidente à vontade, abrindo mão do posto. Temer recusou o pedido, dizendo que confiava na sua inocência e capacidade. O ministro aceitou permanecer.


Na delação, Blairo é acusado de receber R$ 12 milhões da Odebrecht na campanha para o governo de Mato Grosso, em 2006. Ele nega as acusações.



AVALIE:
0
0
0 Comentário(s).

COMENTE
Nome:
E-Mail:
Dados opcionais:
Comentário:

FECHAR

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

FECHAR
Mato Grosso Notícias © 2013 - Todos os direitos reservados