Tamanho do texto A- A+


/ MATO GROSSO

Projeto fornece leitões de porco caipira a pequenos produtores

Leitões são vendidos por agendamento pela Empaer

A criação de porco caipira é, muitas vezes, uma das alternativa de renda para pequenos produtores. Para ampliar a criação desse animal, a Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão (Empaer) está ajudando pequenos criadores de Mato Grosso a comprarem leitões por meio de um projeto desenvolvido no campo experimental de suinocultura, que fica no município de Nossa Senhora do Livramento.


Na unidade, os animais são criados soltos e a ração é feita a base de milho triturado, de farelos de soja e arroz e de um suplemento mineral. Um animal adulto consome 2,4 kg por dia. Os machos, que chegam a pesar até 300 kg, são os responsáveis por transmitir as características das raças brasileiras Piau e Sorocaba. No total, são 48 matrizes que geram 450 leitões por ano em média.


O técnico em agropecuária da Empaer, Francisco de Souza Filho, conta que no campo experimental o trabalho de acompanhamento é feito desde os cuidados no momento da parição até a desmama e vermifugação. “Nós levamos para fazer o acasalamento dos animais da mesma raça tomando o cuidado para não deixar que os animais de espécies diferentes estejam se acasalando preservando de maneira sem a mistura das raças.”

 

Para comprar os leitões, os produtores devem agendar a visita por telefone. Cada produtor pode levar no máximo três casais, para que possa investir na reprodução dos animais. Hoje apenas 10% da procura é atendida. Segundo o técnico em agropecuária, seriam necessárias no mínimo 100 matrizes para atender à demanda do estado.


O produtor Miraldo Barbosa de Freitas arrematou três casais. Cada leitão com até 13 quilos sai por R$ 58,50 e seu investimento para ampliar a produção foi de R$ 351. Ele espera estar lucrando com a venda de animais dentro de um ano.

 

Já o médico veterinário e produtor rural Neto Freitas comprou dois machos e três fêmeas. A intenção dele é ter leitões para vender no Natal de 2015. Segundo o criador, o investimento é um bom negócio, pois a alimentação a base de milho, principalmente, está a um preço acessível. A saca de 60 kg do cereal sai por R$ 12 na região em média. “O milho é o alimento básico do porco, está compensando transformar milho em carne”, destaca.


A engenheira agrônoma da Empaer, Renilce Costa, atende a assistência técnica aos pequenos produtores. “Nós vamos até a propriedade e orientamos os produtores sobre a vermifugação dos animais, que deve ser de quatro em quatro meses para manter a sanidade do animal e evitar doenças”, lembra.


O técnico da Empaer, Francisco de Souza Filho, explica que o Piau é um animal mais para a banha e o Sorocaba é um animal para carne e que não precisam de uma instalação de luxo para serem criados. “A razão de incentivar a criação dessas duas raças é porque elas se adaptam facilmente às condições dos pequenos produtores rurais”, diz.



AVALIE:
2
0
0 Comentário(s).

COMENTE
Nome:
E-Mail:
Dados opcionais:
Comentário:

FECHAR

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

FECHAR
Mato Grosso Notícias © 2018 - Todos os direitos reservados